Veja como fazer uma gestão financeira efetiva

O planejamento, análise e controle das atividades financeiras de uma empresa fazem parte de procedimentos administrativos que visam potencializar ganhos lucrativosLogo, a gestão financeira está relacionada aos investimentos, empréstimos, financiamentos, despesas fixas, variáveis lucros, e o valor patrimonial da empresa. Ou seja, é possível que seja dividida em operacional e estratégica.

Quando se estabelece metas, estipula prazos e analisa os resultados, é inevitável que a organização obtenha bons crescimentos e resultados de acordo com o planejamento que foi gerenciado. Até porque esse é um dos principais desafios de um negócio. Se o seu interesse é em entender melhor sobre gestão financeira para dar seus passos de gestão empresarial, esse artigo é ideal para você.

Para qualquer empresa, independente do seu porte ou ramo de atuação, é de extrema importância que ela tenha uma boa gestão financeira. Sem ela, gastos desnecessários e o enfraquecimento da organização são alguns dos fatores que serão inevitáveis. Uma boa gestão permitirá a correta organização e destinação dos recursos financeiros, que consequentemente vão possibilitar a realização de novos investimentos e a apresentação de bons resultados. É o que chamamos de saúde do negócio.

Ações e medidas preventivas mantém você preparado para possíveis imprevistos e dificuldades normais que surgirão ao longo do caminho. Por isso, elas devem ser implementadas quando o negócio ainda está no começo. E para dar continuidade aos bons resultados é importante investir em boas estratégias de gestão e organização com periodicidade.

Até esse ponto, já sabemos que a gestão financeira empresarial envolverá planejamento, boa administração e acompanhamento de resultados, certo? Para executar essas atividades, existem metodologias e indicadores como a receita operacional, contabilidade de custos, projeção de vendas, despesas variáveis, margem de contribuição e outros.

Pareceu complicado? Elaboramos um passo a passo para ajudar a você a entender e planejar sobre a sua gestão financeira. Vamos lá?

Gestão operacional e estratégica

Esses dois termos dependerão de como você escolhe fazer o controle financeiro do seu negócio. E não pense que um é melhor que o outro, pois, na realidade, não há certo ou errado. A gestão operacional é feita para garantir que as contas fecharão em dia e que o final do mês contará com um saldo positivo. Já a estratégica envolve planejamento com o auxílio de indicadores e métricas.

Apesar disso, é importante saber que existem algumas características comuns de qualquer tipo de gestão financeira, como:

  • saber quem são os seus concorrentes;
  • o controle das entradas de capital;
  • saber quais são as melhores temporadas para o seu negócio, por exemplo, os serviços de guinchos são muito solicitados nos períodos de férias;
  • acompanhar os investimentos realizados, assim como mensurar os resultados;
  • saber quais são os custos operacionais;
  • sempre ter metas no que diz respeito ao crescimento financeiro.

Tendo essas características em mente é possível começar a traçar os meios de execução de uma boa gestão financeira. Se você ou o seu departamento financeiro continuam perdidos, fique atento aos passos a seguir, pois a saúde da sua empresa pode mudar completamente.

6 passos de como fazer uma gestão financeira

1. Reconheça os seus custos 

Primeiramente, deve-se listar todos os custos da sua empresa, divididos por custos fixos e variáveis. Os custos fixos são aqueles que aparecem todos os meses, na mesma faixa de preço, como é o caso do aluguel, água, telefone, eletricidade, internet e folha de pagamentos. Os custos variáveis são custos inconstantes, que você não tem todo mês, como por exemplo, a compra de maquinário novo. 

Reconhecendo os custos do seu negócio fica fácil visualizar para onde o dinheiro vai todo mês. Dessa forma, é possível cortar gastos desnecessários e supérfluos, como investimentos sem retorno.

2. Planeje

Elaborar um planejamento é imprescindível para uma boa gestão financeira. Afinal, é o momento de decisão do gestor sobre os objetivos e metas, como por exemplo reduzir os custos operacionais do negócio para alcançar as metas que foram estipuladas. Depois, é necessário estipular quais serão essas estratégias para o alcance dos objetivos. Para reduzir os custos operacionais é necessário o mapeamento completo dos custos financeiros e averiguação das necessidades que o negócio apresenta.

É importante também estabelecer as métricas utilizadas para acompanhar os resultados com as indicações das necessidades de mudanças. Todo o planejamento deve ser revisado periodicamente, para que possíveis mudanças ou modelos ideais sejam alinhados e adequados à atualidade do negócio.

3. Elabore um orçamento

O orçamento é também uma forma de planejar, principalmente para programar todo o financeiro que será destinado ao negócio. Ele vai permitir uma visualização ampla e garantir as possibilidades de reconhecer os setores e dinâmicas que serão mais importantes para a organização.

Os resultados de um orçamento bem feito garantem o controle eficiente das finanças, evitando a escassez ou gastos desnecessários em consumos que não são prioridades.

4. Controle o seu fluxo de caixa

A base de uma gestão financeira está em ferramentas financeiras, como por exemplo o fluxo de caixa, pois é um mecanismo que permite saber o controle de entrada e saída dos recursos. Além disso, as organizações devem estar atentas à inovação online, principalmente quando falamos em gestão e automação.

Use a tecnologia a seu favor. Atualmente há uma grande variedade de aplicativos que ajudam no controle e gestão financeira, tanto pessoal quanto empresarial. Pensar nessas alternativas faz você ganhar tempo e organização na produção de relatórios para analisar os resultados.

Com o planejamento estratégico e um bom controle do caixa, é possível saber as contas pendentes e atrasos de pagamentos. Afinal, ter em mãos quais são as despesas fixas é essencial para que o negócio continue, isso inclui despesas mensais como conta de água, luz e aluguel. Essa gestão deve ser feita de forma periódica, para que realmente haja o controle de todas as movimentações financeiras do negócio.

5. Controle do consumidor

A principal fonte de renda da sua organização é o seu atual e futuro cliente, pois é ele quem dará o dinheiro que mantém o negócio. A busca por novos clientes deve ser contínua. Porém, sem deixar de lado os clientes que já existem, pois a manutenção dos consumidores é tão valiosa quanto a captação de novos leads.

O estreitamento das relações com o cliente é essencial, isso o ajudará a alinhar expectativas e trocar informações valiosas para evoluir melhor com a experiência oferecida pelo seu produto ou serviço. Os clientes também são divulgadores do seu negócio, uma vez que eles se sentem satisfeitos com o serviço, o que gera essa fidelização vai fazer com que ele queira passar para frente a mesma experiência boa que ele viveu com a sua empresa.

6. Gestão tributária

Em toda organização há tributos obrigatórios que precisam de atenção. É preciso deixar um armazenamento de verba para o pagamento desses tributos, além de ser uma ótima estratégia de trabalho com o dinheiro. São obrigações das quais não há como fugir. Além disso é preciso estar atento aos prazos para que os pagamentos não aconteçam com atrasos. Há profissionais especializados em finanças que podem ajudar você a ter um controle mais maduro desses tributos sem passar aperto.

Conclusão

Atenção! Uma gestão financeira feita de forma inadequada pode causar problemas como: descontrole do capital de giro, desconhecimento do valor patrimonial da organização, prejuízos financeiros para a empresa, ausência de informações importantes e necessárias como valores para pagar e a receber, saldo de caixa e estoque.

É possível afirmar que a maior parte dos problemas financeiros estão ligados às atividades empresariais. Por isso, contar com um profissional que conheça os processos e tenha experiência a oferecer é algo que agrega valor ao negócio. Investir nessa contratação é um passo importante e necessário, se a empresa têm essas condições.

Como você pode perceber, a gestão financeira se trata de um processo complexo e cuidadoso. É de extrema importância que você conheça bem a sua empresa para ter em mãos os elementos que serão necessários para a elaboração de um planejamento que esteja de acordo com as necessidades do seu negócio e suas metas a longo prazo. 

Não se trata de um processo único, e sim um processo cíclico de estratégias e análise constante. Principalmente quando falamos de análise, que é uma parte de entendimento do processo que ajuda a visualizar os resultados das estratégias que foram adotadas, tanto positivos quanto negativos. É possível chegar longe com planejamento, organização e inovação.

E por falar em visualização de resultados, não se esqueça de que analisar os resultados das suas estratégias deve ser uma rotina. Isso é necessário para dar continuidade no crescimento da empresa e saber se está tudo indo bem para investir em algo novo ou se algo pode dar errado. Nessas horas, é preciso repensar os investimentos que não obtiveram resultados satisfatórios. 

Acompanhe conteúdos como esse, em tempo real, através das nossas redes sociais:

Até a próxima!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *